• Dawton Valentim

Como seria minha redação do Enem 2022

Atualizado: 14 de nov.

👋🏾 Alô, pensantes! Dawton aqui.

Fonte: G1.

No último dia 13 de novembro, ocorreu o 1º dia da primeira aplicação do Enem 2022. Esse primeiro momento aborda, além da redação, questões de linguagens e de ciências humanas. Para contribuir com as discussões que vão rolar sobre o tema, que foi "Desafios para a valorização de comunidades e povos tradicionais no Brasil", compartilho, neste post, tanto a redação que eu escreveria se estivesse fazendo a prova como uma versão editável da proposta de redação, que poderá ser reproduzida e adaptada.


É importante mencionar que a redação foi feita apenas com a frase temática do tema, já que a liberação dos textos motivadores ocorreu horas depois da divulgação da frase. Nesse sentido, vou deixar reservado aqui meu direito de refazer ou reajustar o texto, 😅.


Para baixar a proposta de redação editável, clique aqui.



"Iracema" foi um esforço metafórico do romancista José de Alencar de remontar o processo de colonização brasileira. Para tanto, o autor retratou a dolorosa relação entre um homem branco e uma indígena tabajara levada a abandonar sua comunidade e suas tradições para viver um amor proibido. Fora da estética romântica, porém, é possível observar, na obra, um dos históricos desafios brasileiros para a valorização de povos originários, sobretudo os indígenas: sua representação cultural frequentemente associada à inferioridade civilizatória. Soma-se a isso a sub-representação política de tais grupos como outra lacuna a ser superada. Nessa perspectiva, é inviável negar que o imaginário coletivo é influenciado pela representação que a sociedade e suas mídias constroem. A série brasileira "Cidade invisível", por exemplo, embora resgate elementos folclóricos típicos de certas comunidades, é ambientada geograficamente longe delas e não conta, em seu elenco, com atores ou atrizes indígenas protagonistas. Nesse sentido, o Brasil falha em representar seus povos tradicionais seja por associarem-nos ao exotismo seja por não os incluírem na construção de narrativas legitimamente representativas. Paralelo a tal problemática, nota-se o agravamento dos efeitos da pouca presença política de povos originários no Brasil. Nesse sentido, embora a Constituição Federal de 1988 pregue a equidade entre todos os cidadãos, o país parece refletir melhor o que George Orwell diz em "A revolução dos bichos": "Todos os animais são iguais, mas alguns são mais iguais que outros". Ou seja, numa democracia representativa e sem ações afirmativas eficazes, enquanto a "bancada do boi" ganha espaço em pautas ambientais, comunidades tradicionais, sem bancadas no Congresso Nacional e sem apoio institucional efetivo, são tratadas como "menos iguais" politicamente. A sociedade brasileira, portanto, deve se engajar na atenuação desses desafios em prol da valorização de grupos e comunidades tradicionais. Logo, o Estado, cuja função é garantir a igualdade constitucional, deve fortalecer instituições de representação cultural e política de grupos originários, tais como Funai e Fundação Palmares. Isso pode ser cumprido por meio da nomeação de integrantes de de tais grupos para a liderança dos espaços representativos, a fim de mitigar a sub-representação e suas consequências.

Outras redações sobre o tema (lista não exaustiva)


Assim como eu, vários outros professores têm divulgado suas versões de redação para o tema do Enem 2022. Vou listar aqui as redações que forem surgindo no meu feed:

3 comentários

Posts recentes

Ver tudo